Programa de Pós-Graduação em Historia
Universidade Federal de Ouro Preto

Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em História da UFOP (PPGHIS) instituiu em 2011 um Setor Editorial com o intuito de produzir livros eletrônicos de autoria de docentes, discentes e colaboradores do Programa. Esta iniciativa visa, por um lado, acompanhar as mudanças no mercado editorial interno e externo com o crescente número de publicações eletrônicas, facilitando o acesso à informação, e, por outro, divulgar com maior rapidez a produção intelectual do PPGHIS e seus colaboradores.

Tais livros serão disponibilizados inicialmente em PDF, sendo que já contamos com os seguintes núcleos:

Américas

O núcleo se dedicará às publicações acerca da dinâmica Atlântica e da História da América, considerando as diversas configurações do seu território, no período colonial e/ou no período pós-independências. Trata-se de uma proposta que acolhe tanto o exercício comparativo, capaz de evidenciar convergências e peculiaridades entre as unidades em análise, como a investigação regional e monográfica, que, em menor escala, permite distinguir os contornos dos eventos, agentes, instituições e representações.

Conselho Editorial:

Editor: Luiz Estevam de Oliveira Fernandes

Membros: Marco Antônio Silveira (UFOP), Álvaro de Araújo Antunes (UFOP), Virgínia Albuquerque de Castro Buarque (UFOP), Leandro Karnal (Unicamp).

Estudos Alemães

A proposta de criação de um núcleo editorial devotado aos "Estudos alemães" tem por objetivo principal incentivar a ampliação e o aprofundamento do diálogo científico entre as comunidades historiográficas brasileira e alemã, movimento este que tem recrudescido nos últimos anos, depois de um longo período de afastamento mútuo.

A centralidade de que passaram a gozar autores como Reinhart Koselleck e Jörn Rüsen no debate teórico promovido por historiadores brasileiros mostra o interesse crescente pelo pensamento histórico alemão – um campo até poucos anos atrás dominado seja pelos filósofos, seja por autores de orientação marxista –, ao mesmo tempo em que a vinda de historiadores e teóricos da história alemães ao Brasil se intensifica e revela uma abertura efetiva para o diálogo com nossa própria tradição de pensamento histórico, tanto a “clássica”, das décadas de 1930-1940, quanto a mais recente.

Cabe ressaltar o fato de que o Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Ouro Preto tem se destacado como um dos mais importantes centros brasileiros de divulgação e estudo sistemático da tradição teórico-historiográfica alemã, de modo que a proposta criação deste Núcleo Editorial surge como uma conseqüência por assim dizer “natural” deste processo.

Conselho Editorial:

Editor: Sérgio da Mata (UFOP)

Membros: Luiz Estevam de Oliveira Fernandes (UFOP), Fábio Duarte Joly (UFOP), Arthur Assis (UnB).

 

Estudos em História da Historiografia e Modernidade

O núcleo editorial Estudos em História da Historiografia e Modernidade objetiva publicar trabalhos relativos à Teoria da História e História da Historiografia – geral e brasileira. O Seminário Nacional promovido todos os anos, desde 2007, tem sido um lugar importante de consolidação do campo da História da Historiografia e a proposta editorial nasce, em grande parte, dessa experiência São propostas duas coleções.

Uma delas, a coleção SNHH, se refere ao trabalho que já vem sendo desenvolvido pelo núcleo, que é a publicação das conferências proferidas no Seminário Nacional de História da Historiografia, desde sua segunda edição, em 2008.

A segunda coleção, Teoria e história da historiografia: debates & pesquisas, visa à publicação de trabalhos que sejam frutos de pesquisas já finalizadas em algumas modalidades, como iniciação científica, monografias e trabalhos realizados em coautoria por professores e alunos. O objetivo dessa coleção é discutir não só os temas mais específicos da área de teoria e história da historiografia, mas também promover o debate com os campos de interface.

Conselho Editorial:

Editor: Helena Mollo (UFOP)

Membros: Luisa Rauter (UFOP), Valdei Araujo (UFOP), Temístocles Cezar (UFRGS), Lucia Paschoal Guimarães (UERJ).

Impérios e Lugares do Brasil

 

A coleção História, espaço e Poder abrange trabalhos recentes e originais de História do Brasil cuja intersecção é a investigação do processo econômico-social, dos princípios de direito, poder e autoridade, das concepções ou institutos político-administrativos e religiosos, e das práticas simbólicas que apreendem a conexão dinâmica tempo-espaço que conforma os valores da experiência vivida. Os livros que compõem essa coleção são fruto de pesquisas originais, teses e dissertações que possuam reconhecida relevância para o debate e a crítica teórica e historiográfica.

A coleção Acervos e Memórias pretende publicar estudos críticos e ensaios que permitam divulgar acervos e fontes documentais e também propiciar debates em torno dos métodos e processos da construção do conhecimento historiográfico. Assim abriremos espaço também para as edições críticas de obras de reconhecido interesse da comunidade científica e de domínio público.

Conselho Editorial:

Editor: Jefferson Queler (UFOP)

Membros: Ronaldo Pereira de Jesus (UFJF), Cláudia Maria das Graças Chaves (UFOP), Jefferson Queler (UFOP).

 

Estudos sobre o Império Romano

O núcleo se dedicará a publicações acerca das formas que se reveste o Império Romano, tanto na bibliografia contemporânea quanto nas fontes disponíveis para o seu estudo. A expressão “Império Romano” é de uso corrente entre os especialistas. Mas o que exatamente designa esta expressão? Grosso modo se refere a um longo período da história romana, que se estende de 31 (ou 27) a.C. a 476 d.C. (ou 1453), e a um vasto território, da Britânia ao Egito; da Lusitânia à Síria. Além disto, engloba uma população de cerca de 60 milhões de pessoas que se articulam mediante as mais diversas formas de organização política de caráter local e regional. A arbitrariedade implícita na unidade e amplitude desta definição é clara, e a aceitamos por mera convenção. Contudo, nos estudos concretos sobre o Império Romano, a suposta unidade desaparece, de maneira que não se trata mais de pensar em Império Romano, mas sim em “Impérios Romanos”. Trata-se então de problematizar que a noção de Império Romano como a utilizamos não nos é legada pelas fontes coetâneas; da mesma maneira que as fontes do período republicano não tratam de “toda” a República Romana, assim também as do período imperial não tratam do Império Romano como um todo.

Conselho Editorial:

Editor: Fábio Faversani (UFOP)

Membros: Fábio Duarte Joly (UFOP), Sérgio da Mata (UFOP), Carlos Augusto Ribeiro Machado (USP).

Joomla Templates and Joomla Extensions by JoomlaVision.Com